Túnel do carpo

Síndrome do Túnel do Carpo

 

Apesar de a Síndrome do Túnel do Carpo não estar localizada na coluna vertebral, por motivo de distribuição dos temas neste site, ela foi incluída nesta sessão por tratar-se de doença que acomete um nervo proveniente da coluna cervical.

Chamada simplesmente de Carpo ou Túnel do Carpo, a Síndrome do Túnel do Carpo causa dor e dormência nas mãos, que são mais intensas à noite, chegando a prejudicar o sono e exigindo que a pessoa saia da cama e "sacuda" as mãos na tentativa de obter melhora. Com frequência, os pacientes podem pensar que estão com problemas nervosos ou “má circulação" (fig. 1).

 

Na verdade, a Síndrome do Túnel do Carpo trata-se de um problema totalmente diferente: é a compressão do nervo mediano. O nervo mediano é responsável pela sensibilidade em grande parte da mão. Na Síndrome do túnel do carpo, o nervo mediano é comprimido na altura do punho e os sintomas são percebidos principalmente nos três primeiros dedos da mão.

Figura 1. Os sintomas nas mãos atrapalham as atividades cotidianas

Figura 2. O nervo mediano fica comprimido no punho na sua passagem pelo túnel do carpo

Sintomas

 

Existe um ligamento no punho conhecido como retináculo dos flexores que fica localizado junto à palma da mão (fig. 2). Esse ligamento forma uma espécie de túnel, chamado de túnel do carpo, por onde passam várias estruturas. Dentre essas estruturas, destaca-se o nervo mediano que é responsável por uma parte da sensibilidade e dos movimentos da mão. Eventualmente, esse ligamento pode se tornar mais espesso do que o usual e acabar comprimindo o nervo mediano. A compressão do nervo causa vários sintomas, sendo que os mais comuns são dor e dormência na região dos três primeiros dedos da mão, podendo ocorrer ainda diminuição da força, alteração da sensibilidade e hipotrofia de alguns músculos. Esse conjunto de sintomas e sinais é chamado de "síndrome do túnel do carpo".

 

O espessamento do ligamento ocorre devido a micro traumas frequentes e repetidos durante a execução das atividades diárias. A síndrome do túnel do carpo é mais frequente em pessoas expostas a atividades manuais de repetição como lavar roupas e digitação, acomete mais as mulheres do que os homens e é mais frequente quando a pessoa está acima do peso. Geralmente atinge as duas mãos, mas os sintomas tendem a ser piores no lado dominante.

 

Algumas mulheres podem apresentar sintomas sugestivos de túnel do carpo, principalmente dormência na mão, durante o período da gravidez. Isso acontece devido a retenção de líquido e inchaço que costumam aparecer nessa fase. Os sintomas tendem a desaparecer logo após o parto, à medida que o inchaço regride.

 

A síndrome do túnel do carpo tem tendência a ser progressiva, ou seja, os sintomas começam discretamente e vão piorando com o passar do tempo. No início as pessoas costumam sentir dormência e dor leve e esporádica nos três primeiros dedos da mão (e metade do dedo anelar) (fig. 3). Esses sintomas aparecem principalmente à noite ou em determinados movimentos e posições da mão. Com a evolução eles vão se tornando cada vez mais intensos e frequentes. Podem piorar tanto até chegar em um ponto que a pessoa acaba se sentindo totalmente incapacitada pois não consegue mais executar tarefas do cotidiano que antes considerava simples. Atividades como lavar roupas ou digitar em um computador acabam sendo abandonadas. Quando o caso está mais avançado pode ocorrer fraqueza e até atrofia da musculatura da mão (fig. 4).

Figura 3. Os principais sintomas são dor e dormência que afetam metade da mão.

Diagnóstico

 

Os sintomas são tão característicos que o médico pode fazer o diagnóstico facilmente. Caso queira confirmar o diagnóstico, pode ser solicitado um exame chamado eletroneuromiografia. Além de demonstrar a existência de compressão, a eletroneuromiografia também fornece a intensidade do comprometimento do nervo mediano.

Figura 4. A atrofia na região tenar (que fica junto ao polegar) pode ocorrer principalmente quando o quadro já está mais avançado.

 

Tratamento

Compressas geladas podem diminuir o inchaço local e trazer um certo alívio. No início, é recomendado que a pessoa evite realizar os movimentos ou atividades que desencadeiam os sintomas. Movimentos repetitivos e atividades com vibração nas mãos são especialmente destacados como devendo ser evitados no longo prazo.

 

Analgésicos e anti-inflamatórios orais ou injetáveis não são muito úteis na síndrome do túnel do carpo pois o seu efeito é apenas temporário (fig. 5). Pacientes idosos, com dificuldade de circulação, diabéticos e com outros problemas de saúde estão mais sujeitos a complicações.

Figura 5. (A) Infiltrações de analgésicos e anti-inflamatórios têm pouca utilidade na síndrome do túnel do carpo. (B) O risco de complicações em injeções de medicamentos nas extremidades é pequeno, mas existe. Uma complicação extremamente rara, mas que deve sempre estar na mente do médico no sentido de evitá-la, é a necrose na ponta dos dedos. Pode ocorrer em pacientes idosos e diabéticos ou quando a substância é injetada dentro do nervo.

Primeiramente deve-se identificar e tratar a causa do problema. É muito importante descartar doenças ou outras situações que predispõem a edemas e, consequentemente, à compressão do nervo mediano e seus sintomas, especialmente os problemas de tireoide.  Em situações especiais como na gravidez, por exemplo, os sintomas são temporários e desaparecem logo após o término da gestação não sendo necessária nenhuma medida adicional.

 

Mas depois de um certo tempo, quando a compressão do nervo já está estabelecida e é considerada definitiva, o único tratamento eficiente passa a ser a cirurgia. A cirurgia consiste em cortar o retináculo dos flexores abrindo o "teto" do túnel do carpo para liberar o nervo mediano comprimido. 

O procedimento é bem simples e rápido, sendo realizado rotineiramente sob anestesia local. ​Geralmente nós realizamos uma pequena incisão na palma da mão junto ao punho (fig. 6 A e B). É necessária apenas uma anestesia local, mas alguns pacientes sentem-se mais confortáveis quando também é feita uma leve sedação. 

As técnicas para a realização da cirurgia variam e o cirurgião deve optar pela que trouxer melhor resultado. Algumas técnicas utilizam incisões maiores, o que não chega a ser um problema quando o médico se sente mais confortável realizando uma exposição maior (fig. 6).

 Figura 6. Atualmente a cirurgia é feita através de uma pequena abertura na mão. (A) procedimento cirúrgico. (B) sutura. As técnicas microcirúrgicas aumentam a precisão e diminuem o tamanho da incisão.

Figura 7. Antigamente as incisões eram maiores.

Figura 8. O resultado da cirurgia é excelente.

A cirurgia do túnel do carpo apresenta um ótimo resultado e o paciente recupera-se totalmente podendo voltar à vida normal em pouco tempo (fig. 7). Quando a causa do problema é o espessamento do retináculo dos flexores e o cirurgião consegue libera-lo totalmente, os sintomas desaparecem de forma definitiva.

 

Quando existe algum fator predisponente que não foi identificado ou corrigido previamente, como hipotireoidismo por exemplo, a cirurgia pode não ter o resultado esperado. Também não se deve adiar o procedimento por muito tempo pois a compressão prolongada de qualquer nervo pode lesá-lo definitivamente, deixando sequelas que a cirurgia poderia não ser capaz de reverter. A atrofia da musculatura é um sinal de que o problema já está bem avançado.

 

A falta de tratamento pode, com o tempo, levar a uma lesão funcional significativa da mão, com atrofia de músculos e "dormência definitiva". Então, caso você esteja com alguma fraqueza muscular na mão causada pela Síndrome do Túnel do Carpo, não adie a cirurgia.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter
  • Google+
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn ícone social
  • Google ícone social Places