TUMORES DA COLUNA VERTEBRAL

No meio da coluna vertebral existe um canal ósseo por onde passa a medula. Porém, ela não fica em contato direto com o osso pois há uma membrana entre os dois chamada de dura mater (vide anatomia da coluna vertebral). Os tumores da coluna vertebral costumam ser classificados de acordo com a sua localização em relação à dura mater.

  • Tumor extradural: quando ele ocorre externamente à dura mater

  • Tumor intradural extramedular: quando ele está localizado entre a dura mater e a medula

  • Tumor intramedular: quando o tumor se origina dentro da medula

O diagnóstico de um tumor na coluna vertebral é feito com exames de imagem como radiografia (raio x), tomografia computadorizada e ressonância magnética. Desses três, o melhor é a ressonância magnética pois fornece uma quantidade enorme de detalhes para o médico, como tamanho, forma e localização precisa da lesão. Porém, as radiografias e a tomografia computadorizada também possuem o seu papel, já que os detalhes ósseos são melhor identificados nestes dois exames do que na ressonância magnética. 

A maior parte dessas lesões (cerca de 60%) é composta por tumores extradurais localizadas na própria vértebra, ou seja, no osso da coluna. Geralmente são metástases, isto é, tumores que foram originados em outros órgãos e então migraram até as vértebras.

 

Depois das metástase, em termos de frequência, estão os tumores localizados dentro do espaço dural mas fora da medula, que são chamados de tumores intradurais extramedulares. Eles correspondem a 30% do total dos tumores da coluna vertebral. Os mais comuns são os meningiomas, que se originam da própria dura mater* e os schwanomas que são tumores das raízes nervosas que saem da medula.

*na verdade os Meningeomas são originados de uma outra parte da meninge chamada de aracnoide

Os tumores originados dentro da medula, chamados de intramedulares, são mais raros e correspondem a apenas 10% do total dos tumores da coluna vertebral. Eles aparecem principalmente na região cervical. Os tipos mais comuns são astrocitomas, ependimomas e hemangioblastomas.

 

Sintomas

O principal sintoma de um tumor na coluna vertebral é dor no local da lesão. Muitas vezes, a dor é mais intensa no período da noite. Como essas lesões geralmente crescem lentamente, os sintomas também vão piorando gradativamente ao longo do tempo. Caso ocorra compressão de alguma estrutura nervosa, como a medula ou algum nervo, o paciente pode apresentar fraqueza muscular, dificuldade para movimentar, dormência e alteração da sensibilidade em alguma parte do corpo, como pernas ou braços. Os sintomas variam de acordo com a localização da lesão tumoral. Distúrbios urinários (retenção ou incontinência) e intestinais também podem ocorrer.

Diagnóstico

Através do exame físico, o médico pode identificar déficits motores, ou seja, fraqueza musculares localizadas, alterações de sensibilidade e reflexos. 

O exame de imagem de escolha para a identificação e o diagnóstico de um tumor na coluna vertebral é a ressonância magnética, porém as radiografias e a tomografia computadorizada também têm o seu papel, como foi exposto acima. 

Tratamento

Esses tumores geralmente são tratados através de cirurgia. Dessa forma é possível descomprimir a medula e os nervos obtendo alívio dos sintomas. A remoção da lesão também permite confirmar o diagnóstico e identificar o tipo de tumor. Em alguns casos também é necessário realizar radio e quimioterapia após a cirurgia.​

  • Facebook Social Icon
  • Twitter
  • Google+
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn ícone social
  • Google ícone social Places