Anatomia da

coluna vertebral

ANATOMIA DA COLUNA VERTEBRAL

Entender a anatomia da coluna vertebral vai ajudá-lo a entender o seu problema, os objetivos e as opções de tratamento que existem, além de facilitar a compreensão das técnicas cirúrgicas, como na cirurgia de hérnia de disco, por exemplo.

 

 

As partes mais importantes da coluna vertebral são:

       Vértebras

       Articulações (facetas articulares)

      Ligamentos

      Discos intervertebrais  

 

 

 

Vértebras: A coluna espinhal é feita de 33 ossos que são chamados de vértebras. As vértebras ficam empilhadas umas sobre as outras. As vértebras do pescoço são chamadas de cervicais e são menores; as torácicas têm tamanho mediano; as lombares, que se localizam na parte inferior da coluna, são as maiores. Esse aumento gradativo de tamanho das vértebras, do pescoço em direção à cintura, permite a sustentação do peso do corpo e a absorção dos choques provocados pelos movimentos, como quando a pessoa anda.

Facetas articulares: cada vértebra tem dois pares de facetas articulares que proporcionam o contato de uma vértebra com a outra e permitem os movimentos da coluna como fletir e estender o tronco além de rodar de um lado para outro.

Ligamentos: são tecidos que fazem a conexão entre as vértebras e ajudam a estabilizar a coluna vertebral. Um ligamento importante na eventualidade de uma cirurgia é o chamado ligamento amarelo.

Discos intervertebrais: as vértebras ficam separadas pelos discos intervertebrais que atuam como amortecedores e também contribuem para os movimentos da coluna. O desgaste do disco intervertebral é chamado de discopatia degenerativa. Já uma hérnia de disco é o deslocamento localizado do conteúdo discal.

 

 

 

A coluna vertebral é dividida em 5 partes:

  • Cervical (no nível do pescoço)

  • Torácica 

  • Lombar (no nível da cintura)

  • Sacro

  • Cóccix

 

 

 

 

Anatomia da coluna cervical

A coluna cervical é formada pelas primeiras 7 vértebras espinhais, abreviadas C1-C7. Ela começa logo abaixo do crânio e termina na coluna torácica. Tem uma curvatura em formato de "C" chamada de lordose, assim como na coluna lombar. A coluna cervical é muito mais móvel do que qualquer outra parte da nossa coluna. Imagine todos os movimentos, direções e angulações que você consegue mover o seu pescoço. Por isso, a coluna cervical é muito flexível, mas isto, infelizmente, acarreta em um grande risco de lesão quando ocorrem movimentos bruscos e súbitos. O suporte proporcionado pelos músculos na região cervical é limitado. A cabeça pesa em torno de 5 a 7 kg e fica apoiada no topo da coluna cervical. Movimentos súbitos da cabeça podem causar lesões em ossos e ligamentos da coluna cervical. 

Veja a página de hérnia de disco cervical

Anatomia da coluna torácica

 

A coluna torácica é formada pelas 12 vértebras do meio, abreviadas T1-T12. Essas vértebras conectam-se às suas costelas formando parte das paredes do tórax. A curvatura torácica também é um "C", porém invertido em relação a cervical e lombar. Esta parte da coluna tem discos intervertebrais finos e estreitos. As conexões com as costelas e discos menores na coluna torácica limitam o volume de movimentos nessa porção medial em comparação às porções lombar e cervical da coluna. O espaço do canal vertebral também é menor. Isso tudo contribui para que essa região seja muito menos acometida por lesões e desgastes. Hérnias de discos são raríssimas na coluna torácica, assim como fraturas também são menos frequentes.

Vá para a página de hérnia de disco torácica

  

 

Anatomia da coluna lombar

 

A porção mais baixa da coluna é chamada de coluna lombar. Esta área geralmente tem cinco vértebras, abreviadas L1-L5. Entretanto, algumas pessoas nascem com uma sexta vértebra na região lombar. Essa vértebra a mais pode ser chamada simplesmente de 6ᵃ vértebra ou então de vértebra de transição. Esta vértebra a mais não causa nenhum problema e não tem nenhum risco. A base da coluna é chamada de sacro que é um grupo de vértebras especializadas e conecta a coluna à pelve ou bacia.

Assim como a coluna cervical, a coluna lombar também tem uma curva lordótica com um formato de "C". Se você imaginar que a coluna espinhal tem o formato de um "S" a região lombar fica na parte inferior do "S".

As vértebras da região lombar são as maiores de toda a coluna. Então o canal espinhal lombar é o mais largo do que na região cervical ou torácica. O tamanho da coluna lombar permite mais espaço aos nervos.

Dor lombar é uma queixa muito frequente por uma razão simples. Desde que a coluna lombar está conectada à sua pelve, é onde a maior parte do peso e movimentos do seu corpo acontecem. Tipicamente, é onde as pessoas tendem a colocar pressão em excesso, como quando levanta uma caixa pesada, gira para mover um objeto pesado ou carrega peso, além de assumir posturas que forcem os discos, ligamentos e músculos, as chamadas "más-posturas". Isso tudo pode causar traumas repetitivos que podem danificar partes da coluna lombar.

Visite a página de hérnia de disco lombar

Raízes nervosas e nervos

É importante observar que em cada ponto que existe um disco também há um orifício lateral na vértebra chamado de forame. Através desses forames vertebrais é que passam as raízes nervosas que saem da medula e formal os nervos que vão para os nossos braços e pernas. Por isso que um problema na coluna cervical pode afetar os nervos dos braços, mas também pode comprometer toda a parte inferior do corpo se lesar a medula. Já um problema na coluna lombar pode afetar as raízes lombares e, consequentemente, comprometer os nervos que vão para as pernas. Os forames são locais onde as hérnias de disco frequentemente se desenvolvem.

 

 

 

Nervo ciático

 

O ciático é um nervo que tem origem na parte mais baixa da coluna passa pela região lombar, glúteos, coxas, e panturrilhas até terminar nos dedos dos pés. Por isso é conhecido como o nervo mais longo do corpo humano. Infelizmente também é famoso pela dor ciática que é típica da hérnia de disco lombar.

Vértebras

A coluna vertebral tem a sua forma devido ao alinhamento dos ossos chamados de vértebras. As vértebras são estruturas rígidas e duras que, além de dar forma à coluna, possibilitam seus movimentos e protegem as estruturas nervosas contidas no seu interior, como a medula e os nervos.​

Discos intervertebrais

Os discos intervertebrais são estruturas macias, gelatinosas e elásticas. Têm alta concentração de água em seu interior. Como

o próprio nome diz, os discos intervertebrais ficam localizados entre as vértebras. Sua flexibilidade permite que eles alterem sua forma fazendo com que uma vértebra se mova sobre a outra, permitindo assim que a coluna se movimente como um todo. Eles também atuam amortecendo choques e pancadas.

Os discos intervertebrais possuem uma parte externa que é mais rígida chamada de ânulo fibroso. Já o seu interior é formado por uma substância gelatinosa, bastante rica em água, que é responsável pela capacidade de amortecimento do disco, que é o núcleo pulposo. Um problema bastante frequente nos discos são as chamadas hérnias de disco.

Os discos intervertebrais têm a função de amortecer os impactos entre as vértebras e facilitar os movimentos da coluna. Porém, com a vida que levamos hoje em dia, eles são muitas vezes submetidos a pressões maiores do que estão preparados para receber. Consequentemente, eles podem sofrer desgaste e diminuir ou até perder sua capacidade de absorver impactos. Com isso, a pessoa pode sentir dor e os movimentos da coluna podem ficar limitados. As regiões da coluna cervical e da coluna lombar são as que possuem maior mobilidade, por isso são mais susceptíveis a problemas, como hérnias de disco por exemplo. Má-postura e carregar pesos em excesso são os fatores que mais agridem os discos.

continue lendo sobre ​HÉRNIA DE DISCO

  • Facebook Social Icon
  • Twitter
  • Google+
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn ícone social
  • Google ícone social Places