Ressonância, tomografia e raio X durante a gravidez

Exames de imagem durange a gravidez

Durante a gestação o corpo do bebê está em formação e é muito susceptível a influência de agentes externos. Suas células estão se multiplicando velozmente e qualquer interferência pode causar uma mutação levando a defeitos no nascimento, ou até câncer mais tardiamente. O primeiro trimestre de gestação é o período mais vulnerável.

Durante a gravidez, o médico deve sempre pesar o risco x benefício na hora de prescrever um medicamento ou solicitar algum exame para a futura mãe. Entretanto, para que o bebê se desenvolva normalmente, ele necessita de uma mãe saudável. Então certos exames e tratamentos podem ser necessários para o bem-estar tanto da mãe quanto do bebê. 

Ressonância magnética do abdome de uma gestante mostrando o feto dentro do útero

Ressonância magnética (RM):

 

Recomenda-se evitar a realização de ressonância magnética (RM) no primeiro trimestre de gravidez pois este exame pode aumentar o risco de ocorrer um aborto espontâneo nesta fase. A RM é liberada após o primeiro trimestre de gestação pois, atualmente, não existe nenhuma evidência de que o exame possa causar algum mal ao feto no segundo e no terceiro trimestres. Por outro lado, também não há nenhum estudo que avalie os efeitos da RM, se é que existem, no longo prazo. Mesmo assim, com os dados disponíveis atualmente, é preferível realizar uma RM (que aparentemente é segura) durante a gestação do que radiografias (RX) ou tomografia computadorizada (TC) que comprovadamente podem causar efeitos sérios ao feto devido à radiação.

O uso do contraste chamado gadolíneo nos exames de RM é contraindicado durante toda a gravidez. Nos Estados Unidos o gadolíneo também não é aprovado para o uso em crianças menores de 2 anos de idade. A amamentação deve ser suspensa por 2 dias após a administração deste contraste à mãe.

Ressonância magnética do crânio

Radiografia (raio X):

O raio X é um tipo de radiação chamada ionizante e que é capaz de atravessar o corpo humano. Com os aparelhos que emitem o raio X nós podemos obter as imagens chamadas de radiografias. As radiografias mostram principalmente os ossos. A radiação ionizante em grande quantidade faz mal para a saúde, podendo causar até câncer. Um exame de radiografia é relativamente seguro pois necessita apenas de uma pequena quantidade de raio X para ser realizado. Porém, a radiação tem um caráter cumulativo no organismo e a repetição desse exame em excesso também pode fazer mal.

A realização de radiografias durante a gravidez é relativamente segura para o bebê. Mesmo assim, a gestante deverá usar um avental de chumbo para bloquear a passagem da radiação até o útero. 

A excessão é a radiografia abdominal. Neste caso, apesar de ainda ser considerado um exame seguro, o risco é ligeiramente maior porque a dose de radiação é um pouco mais elevada e ela é aplicada quase que diretamente sobre o bebê.

Radiografia do crânio

Tomografia computadorizada (TC):

Os aparelhos de tomografia computadorizada (TC) funcionam com o mesmo tipo de radiação que é usada nas radiografias: a radiação ionizante. Porém, na tomografia a quantidade de radiação é muito maior pois as imagens são mais detalhadas. Um computador analisa os dados e é possível identificar não só os ossos, mas também outros tipos de tecidos. Os aparelhos de TC estão sempre em evolução e a qualidade das imagens é cada vez maior. Mas essa melhora de detalhes e nitidez nos exames está intimamente relacionada com o aumento da dose de radiação. Por outro lado, os aparelhos modernos são extremamente rápidos, além de existirem dispositivos que minimizam a exposição à radiação. Qualquer excesso de radiação deve ser evitado, na medida do possível, especialmente em crianças pequenas e em mulheres grávidas.

 

Nos organismos dos fetos e crianças as células estão se multiplicando numa taxa bastante acelerada e a radiação pode interferir neste processo. Outro fator que torna essa parcela da população mais susceptível aos problemas ocosionados pela exposição à radiação, é que ela tem uma expectativa de vida muito longa pela frente.

Angio-tomografia mostrando vasos do pescoço e do crânio

Como a radiação tem um efeito cumulativo e os problemas relacionados ao câncer ocorrem tardiamente, quanto mais jovem é a pessoa, maior o risco. Então é muito importante, que os exames de tomografia computadorizada sejam indicados com muito critério em crianças e em muheres grávidas.

Tomografias do crânio devem sempre ser realizadas com a gestante utilizando um avental de chumbo e são consideradas relativamente seguras. Já uma tomografia da coluna lombar não deve ser realizada, a não ser que não haja outra alternativa, pois a radiação incidiria diretamente sobre o feto.

O contraste utilizado nos exames de tomografia é o chamado "contraste iodado". Apesar de não ser considerado arriscado o seu uso durante a gravidez, também não existem estudos que comprovem a sua segurança em mulheres grávidas. Então o seu uso deve ser evitado a menos que seja extremamente necessário. 

 

Outro problema que deve ser levado em consideração pois é um evento potencialmente fatal, apesar de raro, é a propensão que o contraste a base de iodo tem em desencadear uma relação alérgica.

  • Facebook Social Icon
  • Twitter
  • Google+
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn ícone social
  • Google ícone social Places