HÉRNIA DE DISCO - O QUE É?

Hérnia de Disco - Definição

A hérnia de disco é um problema na coluna que ocorre quando uma parte do disco intervertebral se desloca de sua posição original.  Isso geralmente causa dor nas áreas próximas à região afetada. Eventualmente, esse disco pode encostar ou comprimir algum nervo. Neste caso, a dor pode irradiar através do trajeto do nervo que está sendo comprimido e ir descendo pela perna, quando a hérnia é na coluna lombar, sendo chamada de dor ciática ou dor do nervo ciático, Quando a hérnia se localiza na coluna cervical a dor geralmente apresenta irradiação para os braços. A ressonância magnética é o melhor exame para identificar uma hérnia de disco. Felizmente, na maioria das vezes, a dor tem tendência a passar espontaneamente e o organismo se recupera totalmente sem nenhum tipo de tratamento.  Quando é feito o diagnóstico de hérnia de disco recomenda-se que o paciente faça repouso e tome analgésicos e outros medicamentos para aliviar a dor.  Em seguida, após a crise inicial, ele deve iniciar um programa de fisioterapia. Eventualmente, alguns pacientes não melhoram e acabam necessitando de tratamento cirúrgico.

A hérnia de disco é muito comum nos serviços de neurocirurgia e é mais frequente nas regiões lombar e cervical. A incidência de hérnia de disco nas vértebras torácicas é menor porque é um segmento mais rígido da coluna. Como há menos movimento, os discos sofrem um stress menor. Os homens têm uma tendência um pouco maior que as mulheres e a faixa etária mais acometida é a de 30 a 50 anos. As pessoas com menos de 30 anos geralmente têm uma musculatura mais forte e isso ajuda a evitar a sobrecarga nos discos. Após os 50 anos naturalmente os discos vão desidratando e ficando mais rígidos o que também diminui a chance de a pessoa desenvolver uma hérnia. 

O sintoma mais significativo de uma hérnia de disco é a dor, que é localizada principalmente na região da coluna onde está a hérnia, podendo irradiar para outras partes do corpo como os membros superiores ou inferiores. Quando a hérnia de disco é na coluna lombar a pessoa tipicamente tem dor na região lombar com irradiação para uma das pernas, que é o sintoma característico do nervo ciático inflamado (a dor ciática). Quando a hérnia de disco é na coluna cervical geralmente a dor é no pescoço e irradia para um dos braços.

Irradiação da dor pelo trajeto do nervo ciático

A intensidade da dor secundária a uma hérnia de disco varia bastante podendo causar desde um leve desconforto até a incapacidade total do indivíduo. Felizmente, na maioria da vezes, a dor melhora espontaneamente com o passar do tempo mesmo sem um tratamento específico e até mesmo sem a participação do médico.  

Isto quer dizer que as hérnias de disco têm uma tendência natural a regredir com o tempo. Entretanto, sempre que possível, a pessoa deve ser tratada sob supervisão médica adequada. O tratamento tem o objetivo de aliviar os sintomas da hérnia de disco, principalmente a dor, e fazer com que a pessoa volte o mais breve possível às suas atividades habituais. O tratamento deve ser individualizado, podendo variar desde o uso de medicamentos anti-inflamatórios até fisioterapia e cirurgia. Depois que a pessoa se recupera, mesmo que não tenha sido submetida a uma cirurgia, é importante que iniciar algum programa de prevenção para evitar que o a hérnia de disco volte.

Com uma experiência de mais de 20 anos no tratamento de pacientes com hérnias de disco lombar, torácica e cervical observamos que a dor pode ser muito intensa e deixar a pessoa totalmente incapacitada. Apesar de existirem diversas alternativas para o tratamento, em algumas situações a cirurgia é necessária para eliminar os sintomas de uma hérnia de disco, principalmente nas colunas lombar e cervical.

Anatomia da Coluna Vertebral e dos Discos Intervertebrais

A coluna espinhal é formada basicamente pelas vértebras, que são estruturas ósseas rígidas, e pelos discos intervertebrais. Veja detalhes da coluna vertebral na seção de anatomia.

Disco intervertebral

Vértebra

Ânulo

fibroso

Núcleo

pulposo

Disco intervertebral

Coluna vertebral

Discopatia degenerativa ou degeneração discal

À medida que nós envelhecemos o conteúdo de água dos discos intervertebrais vai diminuindo. A perda de água faz com que os discos se encolham e, consequentemente, o espaço entre as vértebras fique mais estreito. Além disso, o disco fica menos flexível. Este desgaste inevitável dos discos intervertebrais é chamado de discopatia degenerativa ou degeneração discal.

Essa doença degenerativa do disco intervertebral, que afeta também ligamentos e vértebras da coluna vertebral, pode ser considerada como uma adaptação anatômica ao desgaste pelo uso contínuo das estruturas envolvidas. Faz parte do envelhecimento normal, porém, por razões não muito claras, em algumas pessoas isso ocorre com mais intensidade e mais cedo na vida. A discopatia degenerativa pode acabar evoluindo para uma hérnia de disco. Também pode acontecer o inverso. Uma hérnia de disco frequentemente causa a degeneração precoce do disco.

Outras condições que podem enfraquecer os discos incluem:

  •  Desgaste pelo uso

  •  Excesso de peso corporal (obesidade)

  •  Má postura

  •  Carregar pesos de forma inadequada

  •  Esforço brusco e repentino (estresse mecânico)

  •  Estilo de vida inadequado, com hábito de fumar e a falta de exercícios físicos regulares e de uma alimentação saudável, contribuem substancialmente para enfraquecimento do disco 

Hérnia de disco

 

Como pode ser visto na seção de anatomia, o conteúdo gelatinoso do disco é contido por uma estrutura rígida que é o ânulo fibroso. Um enfraquecimento desta estrutura pode causar deformação na disposição original do disco e deslocamento do núcleo pulposo. 

Quando esse deslocamento é mais acentuado pode formar a chamada hérnia de disco. A hérnia de disco, ou seja, a parte deslocada do disco, pode comprimir estruturas nervosas que ficam no interior das vértebras chamadas de raízes nervosas ou nervos.  Essa compressão pode levar a sintomas que variam principalmente entre dor, dormência e fraqueza muscular na região correspondente a estrutura nervosa comprometida. Então, a hérnia de disco é uma parte deslocada do disco intervertebral que, na maioria das vezes, comprime alguma estrutura nervosa causando dor.

ETAPAS DE FORMAÇÃO DA HÉRNIA DE DISCO

a-) Laceração do ânulo fibroso

Quando a pessoa faz um esforço exagerado que causa estresse sobre o disco, o conteúdo gelatinoso pode forçar o ânulo fibroso além da sua capacidade de resistência. Então algumas fibras do ânulo fibroso se rompem dando início ao problema. Nesta fase tem início a dor lombar, devido à inflamação local, mas ainda não há hérnia de disco.

b-) Piora da laceração

 

A pessoa continua a causar estresse sobre o disco e a laceração aumenta. A dor torna-se mais intensa. O núcleo pulposo vai começar a se deslocar e formar a hérnia de disco.

c-) Instalação da hérnia de disco

 

O núcleo pulposo é comprimido em direção à parte enfraquecida do ânulo fibroso. Sem resistência adequada o conteúdo gelatinoso expande e comprime a raiz nervosa desencadeando os sintomas que irradiam pelo trajeto do nervo ciático, quando a hérnia de disco é lombar. Em uma hérnia de disco cervical, a compressão das raízes nervosas causa sintomas nos braços.

Protrusão discal

O deslocamento do disco intervertebral quando é bem localizado e pequeno pode ser chamado de protrusão discal que, a princípio, é um termo usado para descrever um deslocamento pequeno do disco que não compromete raízes ou outras estruturas nervosas. Não existe uma medida para dizer até que tamanho o deslocamento do disco é uma protrusão e a partir de qual limite se torna uma hérnia de disco. Então, uma protrusão discal nada mais é do que uma hérnia de disco pequena.

disco normal

O disco diminui sua altura e aumenta seu diâmetro quando é pressionado - compare com o disco normal na posição de repouso

Abaulamento discal

O disco intervertebral é compressível, então quando ele 

recebe uma carga de peso sua altura diminui e seu diâmetro aumenta, da mesma forma que um pneu.

Mas quando o disco fica permanentemente dilatado isso é chamado de abaulamento discal, situação semelhante à de um pneu quando o veículo está carregado. O problema é quando esse "excesso" do disco atinge o canal vertebral onde estão as estruturas nervosas.

compressão

abaulamento do 

disco

Sintomas das Hérnias de Disco

Os sintomas vão variar de acordo com o local da coluna onde a hérnia de disco está localizada. Em geral, o quadro clínico está intimamente relacionado com a raiz nervosa que está sendo comprimida. A compressão nervosa pode ocasionar sinais e sintomas irradiados para os membros, como dor, diminuição da força, alteração da sensibilidade e limitação no movimento. A dor é o sintoma mais comum da hérnia de disco. 

Em alguns casos de hérnias de disco localizadas nas colunas cervical ou torácica, além da compressão de nervos, também pode ocorrer a compressão da medula levando a um quadro mais exuberante e grave. Assim sendo, de modo geral, podemos ver os seguintes efeitos das hérnias de disco de acordo com sua localização:

  • Hérnia de disco na coluna cervical – Dor no pescoço e dificuldade para movimentá-lo. A dor pode irradiar para um ou para os dois braços e pode vir acompanhada de fraqueza muscular e diminuição da sensibilidade. Quando há compressão da medula os sintomas podem acometer também as pernas.

 

 

  • Hérnia de disco na coluna torácica – Dor na região da coluna torácica podendo apresentar dormência e fraqueza muscular em áreas do tórax, abdome e membros inferiores.

  • Hérnia de disco na coluna lombar – Dor na região lombar que pode irradiar para uma ou para as duas pernas. Essa dor é chamada de dor ciática porque ocorre devido a compressão das raízes nervosas que formam o nervo ciático. A dor pode vir acompanhada de diminuição da força e da sensibilidade das pernas.

Locais de irradiação da dor na hérnia de disco cervical de acordo com a raiz nervosa acometida

Estágios da hérnia de disco 

Estágios da degeneração discal -- os três últimos são considerados hérnias de disco

Diagnóstico das Hérnias de Disco

 

Geralmente o quadro é bem típico e o médico pode, através dos sintomas e do exame físico, levantar uma forte suspeita de hérnia de disco. Além disso, é possível ainda visualizar a localização da hérnia pelo conhecimento da anatomia e distribuição dos nervos. Um paciente com hérnia de disco no espaço L4-L5, por exemplo, apresenta uma distribuição de dor tipicamente no trajeto da raiz nervosa L5 (veja a imagem abaixo). Já uma hérnia L5-S1 causa sintomas principalmente no trajeto da raiz nervosa S1. É claro que estes sintomas podem variar de pessoa para pessoa, mas são usados como referência.

O disco suporta praticamente todo o peso que incide sobre a vértebra

Locais de irradiação dos sintomas de acordo com a raiz nervosa acometida

Para confirmar a suspeita são realizados exames de imagem como Ressonância Magnética ou Tomografia Computadorizada. Através deles é possível localizar o ponto exato em que eventualmente o nervo está sendo "pinçado" ou comprimido, se é por material discal ou não e, caso realmente seja uma hérnia de disco, identificar seu formato e tamanho.

A imagem ao lado mostra uma uma hérnia de disco grande (setas) evidenciada por ressonância magnética da coluna lombar

Continue lendo sobre hérnia de disco - clique no menu abaixo:

O espaço abaixo é aberto a comentários e sugestões
  • Facebook Social Icon
  • Twitter
  • Google+
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn ícone social
  • Google ícone social Places